Mensagens recentes

Páginas: [1] 2 3 4 5 6 7 8 9 10
1
Criaturas lendárias & Lendas / Re: Anaconda Gigante
« Última mensagem por Walker em Dezembro 30, 2019, 13:18:30 »
Em Bornéu?
2
Chat Geral / Tinha que partilhar isto com voçês lol
« Última mensagem por Nice_Man em Dezembro 27, 2019, 17:00:29 »
 ;D ;D ;D ;D ;D ;D ;D ;D ;D ;D ;D ;D

  [ You are not allowed to view attachments ]    [ You are not allowed to view attachments ]  
3
Poesia / Pedra Filosofal - Manuel Freire / António Gedeão
« Última mensagem por Athena em Dezembro 23, 2019, 19:43:39 »
Sem permissão para ver links. Regista te ou Entra


Pedra Filosofal

Eles não sabem que o sonho
é uma constante da vida
tão concreta e definida
como outra coisa qualquer,
como esta pedra cinzenta
em que me sento e descanso,
como este ribeiro manso
em serenos sobressaltos,
como estes pinheiros altos
que em verde e oiro se agitam,
como estas aves que gritam
em bebedeiras de azul.

Eles não sabem que o sonho
é vinho, é espuma, é fermento,
bichinho álacre e sedento,
de focinho pontiagudo,
que fossa através de tudo
num perpétuo movimento.

Eles não sabem que o sonho
é tela, é cor, é pincel,
base, fuste, capitel,
arco em ogiva, vitral,
pináculo de catedral,
contraponto, sinfonia,
máscara grega, magia,
que é retorta de alquimista,
mapa do mundo distante,
rosa-dos-ventos, Infante,
caravela quinhentista,
que é Cabo da Boa Esperança,
ouro, canela, marfim,
florete de espadachim,
bastidor, passo de dança,
Colombina e Arlequim,
passarola voadora,
pára-raios, locomotiva,
barco de proa festiva,
alto-forno, geradora,
cisão do átomo, radar,
ultra-som, televisão,
desembarque em foguetão
na superfície lunar.

Eles não sabem, nem sonham,
que o sonho comanda a vida.
Que sempre que um homem sonha
o mundo pula e avança
como bola colorida
entre as mãos de uma criança.

                 António Gedeão
4
Locais Assombrados em Portugal / Re: Locais maleficos e assobrados de Lisboa
« Última mensagem por Miguel Bragança em Dezembro 23, 2019, 19:02:41 »
As casas mal assombradas ou maleficas (ha' diferença) nota-se pelas vibraçoes, mesmo de dia. :-\
5
Assuntos Místicos Generalistas / Re: Iniciação no Antigo Egipto
« Última mensagem por vampirinho em Dezembro 23, 2019, 13:14:24 »
A primeira Escola de Iniciação foi fundada por Akhenaton na 18° dinastia egípcia, no começo do Império Novo.
Designava-se por Escola Osírica e há evidências de que Pitágoras e Platão nele foram inicados ou até mesmo Jesus durante a sua estadia no Egipto.
6
Social / Tradições de Ano Novo
« Última mensagem por Athena em Dezembro 20, 2019, 10:48:05 »
Sem permissão para ver imagens. Sem permissão para ver links. Regista te ou Entra


Você é daqueles supersticiosos que seguem à risca todas as dicas para atrair fortuna, prosperidade e felicidade na virada do ano?

Confira as 9 tradições de ano novo que selecionamos e veja se fez tudo certo.

1. Começar o ano…
Com o pé direito. Na Escócia e na Grécia, começar o ano com o pé direito é uma tradição antiga e a primeira pessoa que pisar na sua casa poderá trazer sorte ou azar. Amigos e parentes devem entrar primeiro, sempre com o pé direito e nunca de mãos vazias.

2. Vamos pular!
Para atrair a sorte, os dinamarqueses costumam pular de uma cadeira na hora da virada. Já no Brasil, é outro nível. As pessoas vão à praia, pulam sete ondas e fazem um pedido a cada onda pulada.

3. Encher a boca de uvas
Na Espanha e em outros países de língua espanhola, as pessoas passam a virada literalmente de boca cheia. Diz a lenda que quem comer doze uvas à meia-noite terá doze meses repletos de felicidade e prosperidade. Não basta apenas engolir doze uvas de uma vez, tem que ser junto com as baladas do sino da igreja à meia- noite, ou seja, a cada segundo do relógio ,você come um uva.

4. Za zdorovjie
Na Rússia para que os sonhos se concretizem, é preciso seguir esta tradição. Faça um pedido, escreva-o em um papel e depois queime. Em seguida, coloque as cinzas em uma taça de champanhe e beba! Saúde!

5. Viaje o ano inteiro
Os viajantes de plantão não podem deixar de seguir esta tradição colombiana: passar a virada com uma mala (vazia) na mão.

6. Escolher a cor certa
Há inúmeras superstições ligadas à cor da roupa na chegada do ano novo. Aqui no Brasil, por exemplo, costumamos nos vestir de branco para afastar maus espíritos. Já na China, o vermelho é utilizado para atrair sorte (o ano novo deles é só em fevereiro).

Esta crença de cores é ainda maior em relação às peças íntimas. Dê uma olhada nesse guia de cores de peças íntimas, para ter certeza de que fez a escolha certa.

7. Tomar cuidado com o que você come
Se você come alimentos redondos, você deve ser bom quando se trata de prosperidade. Na Itália, o tradicional prato comido à meia-noite, cotechino e lenticchie (chouriço e lentilhas) é indicado para trazer todos os tipos de boa sorte no ano novo – afinal, as lentilhas se parecem com dinheiro.

8. Focar em tudo que é redondo
Nas Filipinas, concentrar-se em coisas redondas vai além da mesa – frutas redondas são comidas e exibidas, as pessoas dão umas as outras moedas e vestem roupas com bolinhas.

9. Deixar que o chumbo mostre o caminho
Algumas pessoas utilizam folhas de chá para prever o futuro. Já os países de língua alemã da Europa e alguns países nórdicos, seguem a seguinte tradição: derreter uma pequena quantidade de chumbo em uma colher e em seguida despejá-lo em água fria.

O formato obtido neste processo é cuidadosamente analisado e mostra como será seu futuro.

Sem permissão para ver links. Regista te ou Entra
7
Chat Geral / Re: Bom Natal a Todos...
« Última mensagem por Nice_Man em Dezembro 16, 2019, 10:45:51 »
Um bom Natal para todos  :)
8
Chat Geral / Bom Natal a Todos...
« Última mensagem por Hulk em Dezembro 16, 2019, 10:25:39 »
Desejo um bom natal a todos e muitas prendas  ;D
9
Criaturas lendárias & Lendas / Unicórnio
« Última mensagem por Hulk em Dezembro 16, 2019, 10:24:39 »
Unicórnio, também conhecido como licórnio, é um animal mitológico que tem a forma de um cavalo, geralmente branco, com um único chifre em espiral. A sua imagem está associada à pureza e à força. Segundo as narrativas são seres dóceis; porém são as mulheres virgens que têm mais facilidade para tocá-los.

Tema de notável recorrência nas artes medievais e renascentistas, o unicórnio, assim como todos os outros animais fantásticos, não possui um significado único.

Considerado um equino fabuloso benéfico, com um grande corno na cabeça, o unicórnio entra nos bestiários em associação à virgindade, já que o mito compreende que o único ser capaz de domar um unicórnio é uma donzela pura. Leonardo da Vinci escreveu o seguinte sobre o unicórnio:

"O unicórnio, através da sua intemperança e incapacidade de se dominar, e devido ao deleite que as donzelas lhe proporcionam, esquece a sua ferocidade e selvajaria. Ele põe de parte a desconfiança, aproxima-se da donzela sentada e adormece no seu regaço. Assim os caçadores conseguem caça-lo."

A origem do tema do unicórnio é incerta e se perde nos tempos. Presente nos pavilhões de imperadores chineses e na narrativa da vida de Confúcio, no Ocidente faz parte do grande número de monstros e animais fantásticos conhecidos e compilados na era de Alexandre e nas bibliotecas e obras helenísticas.

É citado no livro grego Physiologus, do século V d.C, como uma correspondência do milagre da Encarnação. Centro de calorosos debates, ao longo do tempo, o milagre da Encarnação de Deus em Maria passou a ser entendido como o dogma da virgindade da mãe de Cristo: nessa operação teológica, o unicórnio tornou-se um dos atributos recorrentes da Virgem.

Representações profanas do unicórnio encontram-se em tapeçarias do Norte da Europa e nos cassoni ( grandes caixas de madeira decoradas, parte do enxoval das noivas) italianos dos séculos XV e XVI. O unicórnio também aparece em emblemas e em cenas alegóricas, como o Triunfo da Castidade ou da Virgindade.

A figura do unicórnio está presente também na heráldica, como no brasão d'armas do Canadá, da Escócia e do Reino Unido.

Na Astronomia, o unicórnio é o nome de uma constelação chamada Monoceros.

O unicórnio tem sido uma presença frequente na literatura fantástica, surgindo em obras de Lewis Carroll, C.S. Lewis e Peter Beagle. Anteriormente, na sua novela A Princesa da Babilónia, Voltaire incluíu um unicórnio como montada do herói Amazan.

Modernamente, na obra de J. K. Rowling, a série Harry Potter, o sangue do unicórnio era necessário para Voldemort manter-se vivo, porém o acto de matar uma criatura tão pura para beber-lhe o sangue dava ao praticante de tal acção apenas uma semi-vida amaldiçoada. No livro diz-se que o unicórnio bebé é dourado, adolescente prateado e adulto branco-puro. Também é interessante observar, ainda na obra de Rowling, que a varinha do personagem Draco Malfoy possui o núcleo de pêlo de unicórnio.

Noutro livro, "Memórias De Idhún", de Laura Gallego García, o unicórnio é uma das personagens principais da história, sendo parte de uma profecia que salva Idhún dos sheks. Em Memórias De Idhún, o unicórnio está no corpo de Victoria.
10
Criaturas lendárias & Lendas / Mokele-mbembe
« Última mensagem por Hulk em Dezembro 16, 2019, 10:23:54 »
A estranha saga do mokele-mbembe (que significa "aquele que interrompe o fluxo dos rios" em lingala) começa em 1776, com uma descrição detalhada da viagem de padres franceses ao centro-oeste da África. Falam de um animal "que não foi avistado, mas que deve ser monstruoso, pois deixa marcas das patas no solo com 90 cm de circunferência ". Em 1913, o governo alemão enviou o capitão Freiherr Von Stein para estudar Camarões. No seu relatório, jamais publicado, existem relatos de experientes guias de caça do Congo (fronteira), sobre um animal do tamanho de um elefante, cor cinza-acastanhado, pele lisa, pescoço e cauda compridos e musculosos, alguns dizem que tem um chifre (ou um só dente). Vive nas grutas de barro da margem do rio e alimenta-se exclusivamente de vegetais. Aos poucos os naturalistas passam a definir o "monstro enorme, meio elefante, meio dragão" como um dinossauro, aparentemente próximo dos brontossauros.

Como a bacia do Congo permaneceu estável no plano geológico e climatológico, e os crocodilos, parentes próximos dos dinossauros, sobreviveram com poucas alterações, a continuação de uma pequena população de dinossauros num meio isolado, estável e adequado não é impossível.
Páginas: [1] 2 3 4 5 6 7 8 9 10