Portugal Sobrenatural /

Fenômenos Sobrenaturais => Superstições => Tópico iniciado por: Nice_Man em Outubro 11, 2018, 17:36:15

Título: Algumas superstições populares portuguesas
Enviado por: Nice_Man em Outubro 11, 2018, 17:36:15
Quando uma visita se demora muito, contrariando os donos da casa, deve pôr-se um banco de pernas para o ar detrás de uma porta, porque logo ela sai.

As pessoas que dormem muito, para perderem este hábito, devem abraçar um burro logo que acabar de nascer.

Quando um bode espirra, é sinal de bom tempo.

É mau virar o vestido de cima para baixo, porque se vira a fortuna.

Não é bom deixar um pedaço de pão cortado com os dentes. Uma pessoa que queira fazer mal a quem fez isto, pode apanhar aquele pão, crivá-lo de alfinetes e dá-lo depois a comer a um sapo. O sapo fica padecendo, e enquanto não morre padece a pessoa também, morrendo por fim ambos.

Quando as vacas berram, é sinal de casamento.

Quando se ouve uivar um cão, devem tirar-se os sapatos, virá-los de sola para cima e põem-se os pés em cima deles, dizendo três vezes: Maria dá pão ao cão. Apenas se fizer isto, logo o cão se calará, cessando o agoiro.

Não se devem matar baratas (insecto), porque são sinal de dinheiro na casa onde aparecerem.

A mulher que amamentar uma criança, não deve fazê-lo, ao levantar da hóstia e do cálice, porque a criança fica com gota.

Quando a orelha esquerda está muito vermelha, é sinal que estão a dizer mal da gente. Para se evitar que continuem, é bom trincar a camisa três vezes no peito. Assim como se trinca a camisa, assim quem diz mal trinca a língua.

É mau contar as estrelas. Quantas estrelas se contam, tantos são os cravos que nascem nas mãos.

Não é bom rir à sexta-feira, porque a pessoa, que o faz, chora ao domingo.

Quando uma pessoa morre, é bom queimar-lhe a cama, para não voltar a este mundo.

É bom vestir a roupa do avesso, porque livra de mordedura de cão danado.

Quando faz trovoada, é bom deitar alecrim no lume, para afugentar o raio.

Quem corta as unhas ao sábado, vê o seu amor ou pessoa que estima ao domingo.

Quando uma mulher dá de mamar a uma criança, não deve beber coisa alguma, quando a tiver ao peito, senão fica com ataques epilépticos.

Quando se varrem os pés a uma pessoa solteira, não casa.

Quando há dificuldade de extrair as secundinas a uma parturiente, deve pôr-se-lhe um chapéu velho na cabeça, e mandá-la assoprar numa garrafa.

Quando uma mulher grávida deseja alguma coisa que não pode comer, a criança nasce com a boca aberta.

Dente de cão ao pescoço livra de dores de dentes.
Título: Re: Algumas superstições populares portuguesas
Enviado por: Athena em Novembro 06, 2018, 14:16:14
É caso para dizer -- vade retro ...